[LIVE] Constância: a chave para alta performance como Personal Banker - 07/12 às 19h @FranqOpenbanking
Publicado: 10/03/2022Tempo de leitura: 5 min. - Última atualização: 13/05/2022

Porque o Open Banking agora é Open Finance?

Publicado por

Marketing Franq

Marketing Franq

Conteúdos Especiais

Agora, bancos, seguradoras e demais empresas de serviços financeiros podem “trocar dados” se o cliente consentir.

No último dia 4 de março, iniciou a 4ª fase do Open Banking no Brasil, que permite o compartilhamento de dados referentes a seguros, previdência complementar aberta e capitalização e oficializa o termo etapa que oficializa a mudança para o termo Open Finance. 

A transição começou ainda em dezembro de 2021 e vem sendo realizada de forma gradual, para que as instituições participantes se preparem adequadamente para implementar todos os processos necessários para esta integração.

Se Open Banking quer dizer “banco aberto”, ou “sistema bancário aberto”, o Open Finance é o “sistema financeiro aberto”, utilizado em muitos países e tem como meta melhorar a forma como os consumidores irão contratar serviços e produtos financeiros, como seguros, previdência, investimentos, câmbio e etc.

Agora, bancos, seguradoras e demais empresas de serviços financeiros podem “trocar dados” se o cliente consentir, com o objetivo de encontrar melhores condições de negociação.

Mas o que muda na prática? 

Por exemplo, um cliente decide fazer um seguro da sua casa, mas o Banco X, em que ele é correntista há 20 anos e tem um excelente relacionamento, não oferece opções de seguros em seu portfólio. 

Assim, ele procura a Corretora Z para obter opções de seguros. Só que sem saber do seu histórico financeiro, a Corretora não pode oferecer as condições mais vantajosas se comparadas a outro cliente de anos de relacionamento.

Com o Open Finance, o cliente pode autorizar o Banco X a enviar todo o seu histórico de “bom correntista” para a Corretora, que poderá avaliar com mais segurança e oferecer melhores propostas para este novo cliente.

Antes do Open Finance isso seria quase impossível, pois o Banco X não tinha a obrigação nem o interesse em fornecer os dados para uma empresa de outro segmento dentro do mercado financeiro.

No Open Finance, o usuário é dono de seus dados e pode solicitar que o Banco X compartilhe as informações com a Corretora Z, dando poder e autonomia para ela buscar a oferta mais vantajosa para a sua necessidade.

Etapas do Open Finance mês a mês:

Conforme as previsões do Banco Central*, o cronograma do Open Finance em 2022 será o seguinte:

  • 4 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados referentes a seguros, previdência complementar aberta e capitalização; 
  • 11 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados referentes a serviços de credenciamento em arranjos de pagamento;
  • 18 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados referentes a operações de câmbio;
  • 25 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados de contas de depósito a prazo e outros produtos com natureza de investimento;
  • 30 de junho de 2022: Possibilidade de iniciação em pagamento de boletos;
  • 30 de setembro de 2022: Possibilidade de iniciação de pagamentos com débito em conta.
*As datas podem sofrer ao longo do ano.

O futuro é Open?

Sim. Outras iniciativas paralelas como o Open Insurance (Seguros) e Open Investments (investimentos) indicam que o futuro será cada vez mais aberto e transparente, mas ao mesmo tempo, preocupado com compartilhamento de dados. 

De modo geral, o Open Finance permite ao usuário ser mais consciente sobre a propriedade e uso dos seus dados, além de trazer outros benefícios diretos e indiretos:

  • Surgimento de novos produtos, empresas e modelos de negócio;
  • Fortalecimento da educação financeira do consumidor;
  • Maior liberdade de escolha do usuário em relação aos serviços contratados;
  • Aumento da concorrência e consequente melhora nos serviços prestados pelas instituições financeiras.

Quer saber mais sobre as Open Finance?

A Franq elaborou um material rico sobre as Diferenças entre Open Banking e Open Finance. No E-Book você aprenderá:

  • Como funciona na prática?
  • Quais dados são compartilhados?
  • Vantagens do Open Finance
  • Oportunidades profissionais
     

Clique aqui para baixar gratuitamente
 

Sobre a Franq Open Banking

Com sede em Florianópolis (SC), cidade considerada o “Vale do Silício” brasileiro, a Franq começou em 2018, quando um grupo de executivos experientes do mercado bancário resolveu apostar em um novo negócio: unir a expertise de bancários para oferecer produtos e serviços financeiros de mais de 40 instituições dentro da arquitetura do Open Banking.  

Por meio da plataforma da Franq, bancários experientes se transformam Personal Bankers para atuar de forma autônoma, sem vínculo a um único banco. Atualmente, a estrutura da startup conta com 170 funcionários que são responsáveis pelo desenvolvimento da tecnologia utilizada na plataforma, operação e suporte aos Personal Bankers durante as negociações com os seus clientes. 

Seja um bancário autônomo no Open Finance, seja um Personal Banker!