[Live] De Ex-bancário a Personal Banker - 9/11 às 19h @FranqOpenbanking
Publicado: 26/06/2020Tempo de leitura: 7 min. - Última atualização: 26/07/2021

Mercado financeiro: o que é preciso para trabalhar como agente autônomo

Publicado por

Marketing Franq

Marketing Franq

Conteúdos Especiais

Ser um agente autônomo tem sido uma opção para quem deseja trabalhar no mercado financeiro. Neste artigo, você descobre o que é preciso para trilhar esse caminho.

Atualmente, já são mais de 51 milhões de pessoas envolvidas em alguma atividade empreendedora no Brasil. E a estimativa é que esse número cresça ainda mais: é esperado que, em 2020, 25% da população adulta passe a se enquadrar como “empreendedor inicial”. É verdade que nem todos são guiados pelo tino inovador, mas, muitos profissionais qualificados e experientes veem neste momento, uma forma de empregar todo o seu conhecimento em “causa própria”. Quem trabalhava em banco, por exemplo, pode atuar como agente autônomo e se manter ativo no mercado financeiro.

Muitos ex-funcionários de banco já seguiram por esse caminho e, hoje, têm uma profissão rentável e muito mais satisfatória como Personal Bankers. Desta forma, eles realizam uma curadoria financeira apurada, sem vínculos com instituições financeiras, e têm a liberdade que só quem é dono do próprio negócio pode ter. 

Se você também pensa em gerenciar o próprio trabalho e quer aplicar o conhecimento adquirido no mercado financeiro para empreender, este artigo vai ajudar! Nele, você saberá quais os principais passos a serem seguidos para se tornar um agente autônomo e como fazer para atuar como um Personal Banker. Acompanhe!

Como se lançar como agente autônomo?


É verdade que você terá autonomia para definir o que, quando e onde fazer. Mas, também, será o único responsável pelos rendimentos no fim do mês! Para começar a sua jornada empreendedora com o pé direito e construir uma base sólida para o seu crescimento, três cuidados são fundamentais. Descubra quais são, logo abaixo.

Prepare-se 


É essencial que você esteja preparado para enfrentar os desafios de ser um agente autônomo. Os rendimentos, que variam de acordo com a demanda de trabalho, como citado acima, exigem que os pés sejam mantidos no chão e todas as cifras na ponta do lápis. Lembre-se que, ao empreender, também não terá acesso a benefícios complementares, como vale-alimentação, transporte e décimo terceiro. Entretanto, quem se prepara, consegue contornar essa falta com organização ao saber quanto deve ser guardado a cada pagamento para suprir esses proventos.

Outro tópico importante sai um pouco do campo das cifras e entra na sua adaptação à nova realidade. Acredite: gerenciar o próprio tempo e a carteira de clientes pode ser mais desafiador do que você imagina. Preparar-se para ter uma rotina definida, um local de trabalho adequado e separar os âmbitos pessoal e profissional ajudam na transição para uma vida mais independente.

Formalize-se


Não ter a segurança de um emprego formal não significa que o empreendedor fique desamparado. O MEI foi criado em 2008 para formalizar os profissionais autônomos e proporcionar a eles uma carga tributária mais amena. Além disso, garante os benefícios do INSS, facilita o acesso a empréstimos bancários e abre um leque de outras vantagens que a obtenção do CNPJ proporciona.

Para formalizar a sua situação como agente autônomo é muito simples: basta acessar o Portal do Empreendedor e seguir as instruções do site. Ao fazer isso, você já tem um CNPJ válido o que, certamente, dá muito mais credibilidade para o profissional frente aos seus clientes ― ainda mais quando falamos em mercado financeiro, onde ter segurança na seriedade do curador faz toda a diferença para o relacionamento.

Busque parcerias que promovam o seu desenvolvimento


O empreendedorismo no mercado financeiro não precisa ser uma jornada solitária. Com a chegada das fintechs, quem procura se lançar como agente autônomo ganhou uma parceria valiosa para divulgar seu trabalho. Essas empresas são voltadas ao desenvolvimento de produtos financeiros digitais, diferente das instituições convencionais. 

Mesmo que essas iniciativas pareçam novas para você, elas são totalmente regulamentadas pelo Banco Central. Tanto que têm sido uma ótima alternativa para aqueles que buscam recolocação profissional no mercado financeiro.

Qual o processo para se tornar um Personal Banker?


Hoje, são muitas as opções de fintechs que aceitam ex-funcionários de bancos como parceiros. Entretanto, a burocracia costuma ser um entrave para o desenvolvimento desses agentes autônomos. Como alguém que conhece o mercado financeiro, você sabe que diversas certificações são necessárias para poder atuar no segmento, como SUSEP, CVM e ANBIMA. Ou seja, para cada classe de produto, há um certificado.

Esse é um dos maiores diferenciais da Franq Openbank. Nela, para se tornar um Personal Banker, nenhuma certificação é exigida. Isso porque o agente autônomo passa a atuar como promotor de vendas, com acesso aos produtos dos parceiros da Franq e trabalha na divulgação dos mesmos junto à sua carteira de clientes.

Obviamente, um processo rigoroso de seleção é realizado, visando a garantir a qualidade dos serviços prestados aos clientes. O primeiro requisito para se tornar um Personal Banker da Franq é a comprovação de, pelo menos, 5 anos de experiência no mercado financeiro.

5 passos para se tornar um Personal Banker


Na Franq, o processo para se tornar um Personal Banker é descomplicado! Acompanhe o passo a passo, logo abaixo:

1. Comece fazendo seu cadastro no site da Franq Openbank;

2. Logo após, o seu perfil será avaliado e uma entrevista com o nosso time de expansão será agendada;

3. Se aprovado, o contrato é enviado para assinatura;

4. Na sequência, a Franq oferece um treinamento on-line completo;

5. Ao concluí-lo, o novo Personal Banker recebe acesso à loja, app e já está pronto para começar a atuar como um agente autônomo no mercado financeiro!

Ao fazer parte da Franq, o Personal Banker recebe atualizações constantes sobre os produtos financeiros dos parceiros, assim como treinamentos e respaldo jurídico da equipe técnica. Certamente, essa atenção ao agente autônomo faz toda a diferença na transição de carreira e, claro, no desenvolvimento como empreendedor.

Como você pôde perceber, ser um Personal Banker é simples, sem burocracia e traz muitas vantagens para quem decide empreender. Faça parte do Open Baking, cadastre-se neste link.