[Live] Entendendo os critérios de aprovação de Personal Bankers - 28/9 às 19h @FranqOpenbanking
Publicado: 10/08/2021Tempo de leitura: 4 min. - Última atualização: 11/08/2021

Demissões nos bancos e novas oportunidades para bancários

Publicado por

Marketing Franq

Marketing Franq

Conteúdos Especiais

O mercado financeiro está em plena expansão e toda a experiência e expertise do bancário não será em vão

A digitalização dos serviços financeiros trouxe muitos benefícios para os bancos, que ampliaram e melhoraram os seus canais de atendimento digitais; para as fintechs, como a Franq Open Banking, que encontraram novas oportunidades de negócio  e, principalmente, para o consumidor que terá mais facilidade de acesso e mais opções de escolha. Mas, por outro lado, para os bancários, profissionais experts em atender clientes e vender produtos e serviços financeiros, esta revolução carrega alguns aspectos negativos, como a redução da estrutura física dos bancos, causando o fechamento de agências e a diminuição das ofertas de trabalho no setor bancário. 

Com a concorrência e a queda nas tarifas pagas pelos consumidores, os bancos tradicionais precisaram rever o orçamento. Em apenas um ano, grandes instituições como Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander fecharam mais de 1.600 agências físicas em todo o país e demitiram cerca de 15 mil profissionais.

Bancos que mais encerraram vagas: 

Banco

Junho/20

Junho/21

Variação

Banco do Brasil

92.474

85.518

-6.956

Bradesco

96.787

87.362

-9.425

Itaú

97.440

98.250

+810

Santander

46.348

46.426

+78

Total

15.493 demissões

 

Apenas a Caixa Econômica Federal tem apostado na abertura de agências e vagas. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) levantados pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da Central Única dos Trabalhadores (Contraf-CUT) foram abertas 2.498 vagas no primeiro semestre de 2021.

As contratações na Caixa são reflexo da estratégia de abertura de agências da instituição, que pretende expandir o raio de atuação com agências próprias no lugar dos correspondentes bancários e lotéricas, principalmente no interior do Brasil.

Sou bancário, o que fazer se eu for demitido?

Mas calma, não é preciso ficar em pânico com esta situação. O mercado financeiro está em plena expansão e toda a experiência e expertise do bancário não será em vão. Existem boas oportunidades para os profissionais seguirem fazendo o que mais gostam, orientando os seus clientes, ajudando-os a fazerem escolhas mais sábias, investindo, poupando e muito mais.

Além do bancário, existem outras profissões no mercado financeiro que são interessantes. Entre elas a de Personal Banker, que é um bancário autônomo. Ele tem a sua carteira de clientes própria e indica os melhores produtos e serviços para os seus clientes via plataforma da Franq Open Banking. Ao todo, são quase 30 parceiros e mais de 60 produtos financeiros entre contas, investimentos, seguros, crédito e financiamentos. 

E como eu ganho dinheiro?

O seu rendimento vem das comissões das vendas que ele oferece. Mas o Personal Banker não faz esse trabalho sozinho. Na Franq ele conta com o apoio de uma estrutura completa de vendas para fechar os negócios. Ele indica os produtos dos parceiros disponíveis na plataforma e o cliente realiza a contratação diretamente. 

Preciso me qualificar novamente?

Qualificação nunca é demais no mercado financeiro. Informação é dinheiro. Para ser Personal Banker, não é preciso ter nenhuma certificação, apenas ter a experiência de mais de 5 anos trabalhando em banco de varejo ou cooperativa de crédito. No entanto, quanto mais você souber sobre produtos e serviços financeiros e dominar os assuntos diários da economia, mais preparado você estará para oferecer o melhor aos seus clientes. Neste caso a Franq tem uma equipe que vai lhe ajudar neste quesito, com lives, webinars, materiais de apoio e muito mais.

Ficou curioso sobre esta nova carreira além dos bancos, venha ser um Personal Banker

Fonte