[Live] Entendendo os critérios de aprovação de Personal Bankers - 28/9 às 19h @FranqOpenbanking
Publicado: 05/10/2021Tempo de leitura: 7 min. - Última atualização: 11/10/2021

Entenda os critérios para se tornar um Personal Banker

Publicado por

Marketing Franq

Marketing Franq

Conteúdos Especiais

Atuar como Personal Banker possui uma série de benefícios, como ser remunerado conforme o volume de vendas, fazer seu próprio horário de trabalho e ter um tempo maior com a família.

Muitos bancários e demais profissionais do mercado financeiro ainda têm muitas questões sobre a carreira autônoma de Personal Banker. Uma das dúvidas mais comuns está relacionada a similaridade com outras carreiras, como o agente autônomo de investimentos e o correspondente bancário.

Por isso no último dia 28 de setembro, no perfil da Franq no Instagram, o CMO da Franq, Daniel Ferretti e a gerente de Expansão, Roberta Ferrari explicaram em um bate-papo descontraído, quais os critérios de aprovação para se tornar um Personal Banker.

De acordo com Ferretti, como a Franq é uma plataforma disruptiva, reunindo profissionais, produtos e serviços por meio de um hub, é natural que existam muito tópicos a serem explicados para os interessados. “Atualmente, cerca de 3000 Personal Bankers de todas as partes do Brasil utilizam a tecnologia da Franq para atuar por conta própria. Além disso, a empresa já conta com 150 funcionários em seu quadro e estes números não param de crescer”, destaca. Já para Roberta, as perguntas foram positivas e contribuíram para tornar o evento mais educativo e interessante.

Os tópicos mais citados pelos interessados foram sobre: 

  • Exclusividade de trabalho, ou seja, se existe liberdade para trabalhar com outros players do mercado;
  • Fidelidade de plano, caso o profissional queira sair depois de um tempo; 
  • Estrutura da Franq e rede de profissionais que atuam como Personal Bankers;
  • Concorrência entre Personal Bankers em cidades pequenas e médias cidades;
  • Carteira de clientes;
  • Comissão do Personal Banker;
  • Pagamento da mensalidade;
  • Treinamento e capacitação do Personal Banker.
 

 “Tivemos bastante procura pós-live. Para aqueles que já estavam inclinados a fechar conosco, a live foi decisiva. A ideia é fazer mais novas transmissões com este foco em explicar mais sobre a carreira e atrair cada vez mais novos bancários autônomos”, afirma Roberta.


Abaixo, trouxemos as principais perguntas feitas pelos interessados em se tornar Personal Banker:  

Quais os requisitos para se tornar um Personal Banker?

Atuar como Personal Banker possui uma série de benefícios, como ser remunerado conforme o volume de vendas, fazer seu próprio horário de trabalho e ter um tempo maior com a família. Isso tudo somado à participação em um momento inovador do mercado financeiro

Porém, o profissional que deseja usar nossa tecnologia para empreender precisa ter alguns diferenciais:

  • Experiência de (05) cinco anos em uma instituição bancária ou em uma cooperativa de crédito;
  • Ter uma carteira de clientes, para retomar os contatos; 
  • Ter senso de organização: atuar com autonomia e responsabilidade, potencializando eventuais vendas e, consequentemente, aumento do seu rendimento; 
  • Maturidade digital: saber usar as redes digitais e gerar conteúdos com foco na curadoria financeira, nos produtos e nos serviços disponíveis em nossa plataforma.   

Porque é preciso ter experiência em banco ou cooperativa?

Como os Personal Bankers realizam um trabalho de curadoria financeira aos seus clientes, acreditamos que é importante que este profissional tenha experiência como bancário e uma certa expertise no mercado, para sugerir os melhores produtos e serviços financeiros.

Além disso, a Franq nasceu com um propósito de ser uma opção para bancários que saíram do banco, ou seja, ajudar este profissional a seguir atuando naquilo em que ele é especialista, em cima de uma demanda de mercado crescente. No entanto, nada impede que no futuro a Franq aumente seu escopo de atuação. 

É uma consultoria financeira?

O trabalho dos Personal Bankers não deve ser interpretado como consultoria financeira. Eles apenas indicam os produtos e serviços que melhor atendem os seus clientes, de forma personalizada. Os dados financeiros e bancários são absolutamente sigilosos e não são compartilhados nem com a Franq, nem com os Personal Bankers.  

Porque atuar na Franq difere de trabalhar em um banco?

Por meio da plataforma da Franq, os Personal Bankers, têm liberdade para oferecer diversificados produtos e serviços, com recomendações personalizadas e livre de conflito de interesse. A Franq permite que um bancário experiente trabalhe com autonomia, pois ele mesmo gerencia seus horários e estipula seus próprios objetivos. 

Qual a diferença entre ser Personal Banker e correspondente bancário?

O Personal Banker, é o profissional capacitado para encontrar a melhor oferta em seguros, financiamentos, consórcios, investimentos, ofertas de crédito e demais serviços bancários, e indicar aos seus clientes. 

Ou seja, ele faz um trabalho de curadoria de produtos e serviços financeiros. Nesse caso, o trabalho operacional fica a cargo do parceiro representado e em alguns casos da Franq, por meio das mesas de operação. O Personal Banker apenas direciona seus esforços em capturar, gerenciar e se relacionar com a sua carteira de clientes.

Já o correspondente bancário pode representar um serviço financeiro de um banco, mas também usar os recursos da instituição para conceder crédito. Ele é responsável, ainda, pela operação total. Ou seja, precisa colocar energia e tempo em todas as etapas do processo de uma operação.

Existe conflito de interesse com o agente autônomo de investimentos?

Isso depende mais da agência de investimentos do que da Franq. Em uma agência de investimentos, em quase 90% dos casos (exceto os funcionários da área administrativa), os colaboradores de uma corretora não possuem um salário fixo. O agente recebe uma espécie de ajuda financeira por um período inicial de cerca de 6 meses, mas no final, o profissional pessoa dependerá exclusivamente das comissões que conquistar com a carteira de clientes. 

Por isso, talvez atuar com a Franq e outros players pode ser uma forma de ampliar a carteira de produtos do agente, mas desde que seja respeitado os possíveis conflitos de interesse, caso exista algum.

Ao me tornar Personal Banker, o que a Franq me oferece? 

Ao aderir à plataforma, você paga uma mensalidade de R$ 200 para cobrir as capacitações e os custos operacionais que a Franq oferece:

  • Certificado de habilitação como Personal Banker;
  • Acesso à loja digital personalizada para indicar produtos e serviços e receber uma comissão;
  • Acesso ao simulador de comissionamento de produtos de diferentes segmentos, para avaliar os ganhos;
  • Acesso ao aplicativo beFranq, para gerenciar as solicitações dos seus clientes e acompanhar o status das propostas;
  • Consultoria de Marketing e Redes Sociais;
  • Acessar aos conteúdos diários do time de engajamento da Franq, como lives e workshops;
  • Suporte ilimitado de um Gerente de Sucesso para qualquer dúvida;
  • Apoio das mesas de operações de home equity, crédito imobiliário e financiamento de veículos que ajuda a operacionalizar as vendas;
  • Assessoria contábil e tributária para te apoiar na formalização dos CNPJ, CNAE e demais contratos;
 

Ainda está indeciso sobre se tornar Personal Banker? Clique neste link, cadastre-se que a nossa equipe entrará em contato para esclarecer todas as dúvidas!

Fonte